©2019  |  eLeve-se.life  | 

  • Preto Ícone Instagram

    ACESSANDO E DESBLOQUEANDO AS BARREIRAS DA MENTE

    Atualizado: 30 de Mai de 2019

    “Tudo vem a mim com alegria, facilidade e glória!”. Esta é a frase mental – que também poderia ser chamada de mantra! – repetida diariamente por mim desde que Aisha Havi aplicou-me a terapia de Barras de Access (Barras de Acesso). A partir de então, tenho vivenciado situações tão surpreendentes e positivas na minha vida que alguns poderiam classificá-las como milagres!


    A terapia de Barras de Access faz a chamada “ativação das barras mentais” do paciente por meio de toques suaves em 32 pontos energéticos em torno da cabeça. “O objetivo é promover a expansão da consequência e o desbloqueio de condicionamentos, emoções, pensamentos, atitudes e crenças limitantes que impedem o adequado fluir dos processos de vida”, explica Aisha.

    Os toques nestes 32 pontos liberam registros negativos ou limitantes da mente. A sessão dura entre 1h e 1h15. E, segundo observa Aisha Havi, não é só um processo físico; mas, sim, quântico.


    “Quando tocamos e ativamos as barras, é feita a liberação de fluxos de energia nestes 32 pontos, onde estão armazenados os pensamentos, ideias, crenças e emoções de todas as fases da vida; onde está armazenada a nossa herança psíquica, os padrões que a gente e a sociedade vão criando e dificultando o enfrentamento das situações e a resolução dos problemas”, afirma a terapeuta. “Com a ativação das Barras, é como se ‘deletássemos’ estes arquivos dificultadores, expandindo a mente, abrindo espaço no consciente e no inconsciente para novos jeitos de ver e viver a vida de forma mais fluida”, acrescenta.

    A terapia de Barras de Access é indicada para casos de ansiedade, depressão, síndrome do pânico, insônia, dores e limitações físicas, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), autismo, problemas financeiros, questões relacionadas à sexualidade, compulsões diversas e outros diagnósticos psicológicos.


    “É uma terapia muito eficaz para os diferentes casos em que a pessoa apresenta dificuldades em deixar hábitos que não lhe servem mais, que a limitam, que a prejudicam... e passar a estar na vida de forma mais positiva e leve. Podemos dizer, resumidamente, que a terapia de Barras de Access funciona como uma meditação passiva, de fora para dentro”, detalha Aisha, que recomenda cerca de dez sessões para um tratamento adequado. “Mas, é o paciente que vai sentir quantas sessões ele necessita”, pontua a terapeuta.


    EXPANSÃO – Thiago Daher, servidor da Universidade de Brasília (UnB), é paciente de Aisha Havi. “Estou muito mais atento aos insigths, que vão chegando naturalmente durante as sessões”, conta. “Sinto, de fato, uma grande expansão da minha mente”, completa.


    Segundo Aisha, geralmente é a partir da segunda sessão que o paciente entra no que se denomina “estado de permissão”. “Aí, ele deixa expandir os limites da consciência. Nestes momentos, nós, terapeutas, conseguimos sentir o pulsar das barras na ponta dos nossos dedos como também um calor maior no corpo e nas mãos”, explica.


    E os benefícios da terapia não se limitam ao paciente. “Quando estou desbloqueando as barras e as travas mentais de uma pessoa, eu também estou me trabalhando”, diz Aisha Havi.

    COMO SURGIU – “O que posso fazer para ajudar o mundo?”. Era o que se perguntava e impulsionou o norte-americano Gary Douglas a desenvolver a teoria das Barras de Access e difundi-la para o mundo.


    Desde muito jovem, Gary percebeu que tinha uma visão bastante diferente que a maioria das pessoas tem sobre a consciência. Ele percebeu que muitos viviam de uma maneira não satisfatória, apesar dos esforços para manter o que a sociedade classifica como um “bom emprego” e ser um “exemplo social”.


    Por muitos anos, Gary Douglas se perguntou o que podia fazer para que a vida dele e das pessoas fosse mais plena. Após uma longa jornada que o acompanhou da juventude à vida adulta, Gary – que trabalhou como palhaço, fez participações em filmes e comerciais e conviveu com as mais diversas celebridades – descobriu que o segredo para a plenitude estava na consciência, na forma como a entendemos e a exercitamos. A consciência é, portanto, o foco das Barras de Access.


    Totalmente independente de religião, a teoria de Gary Douglas tem o objetivo de dissolver todo o “emaranhado mental” que atormenta e limita tantas pessoas. Segundo ele, os processos internos movem as informações do nosso campo eletromagnético.


    “As Barras de Access abrem nossa percepção para níveis mais aprofundados da consciência, nos levando a acessar a verdade sobre a nossa real natureza. Somos seres infinitos. Então, podemos modificar aquilo que desejamos, pois podemos fazer escolhas o tempo todo”, diz Gary Gouglas.

    ALTA PERFORMANCE – O neurocientista Jeffrey L. Fannin analisou e mapeou, por meio de eletroencefalogramas, o comportamento das ondas cerebrais de pessoas antes e depois delas passarem por sessão de Barras de Access. Neste vídeo, o neurocientista demonstra os resultados do trabalho. “Foi algo jamais visto em mais de 16 anos de carreira”, diz Fannin.

    A análise dos exames confirmou frequências cerebrais compatíveis às de pessoas que praticam meditação e têm a chamada Mente Desperta ou de Alta Performance. O experimento realizado por Jeffrey Fannin por meio da Neurociência mostrou que é possível atingir as frequências cerebrais de alta performance com sessões de Barras de Access.

    Tais frequências combinam todos os padrões de frequência cerebrais somados: o radar empático e intuitivo das ondas Delta; a inspiração criativa, a percepção pessoal e a consciência espiritual das ondas Theta; a capacidade de transição e relaxamento com a consciência das ondas Alfa; e a atenção externa e a capacidade de pensamento consciente das ondas Beta.



    SERVIÇO – Aisha Havi

    - Contato: (61) 98162-0562

    - Instagram: aishahavi

    - Facebook: Aisha Havi